17 de abril de 2012

Você é capaz de fazer marabalismo com a bola no trem em movimento..

Quando um menino que se move de acordo com a velocidade do trem em cima de uma bola. Certamente ele vai ter que se move de acordo com o trem, e enquanto a bola ele não terá nada que assegurem a não ser a sua própria mão.
Ou ele passar a bola ou deixa-a cair nos trilhos do trem das onze.
Dizem os mais velhos que às vezes a mesma cairá no mesmo lugar, porem de acordo com a velocidade do trem, o menino ira mais rápido que a bola caindo no chão, fazendo a bola cair em outro lugar de acordo com o menino no trem em movimento quem ensina melhor é o que mais precisa aprender.
Realmente, ás vezes é necessário modificar as nossas respostas.  
Nem sempre o trem sabe por que segue em tal direção, ele sente um impulso da velocidade mais não sabe o lugar que devo ir agora. Ele necessitará ser conduzindo até a próxima estação.  
Mas aquele menino, ele sim sabe o verdadeiro motivo por trás daquela bola que tanto erguer o suficiente para ver além dos horizontes. E você também saberá.
Você também tem toda liberdade de escrever tolices ou rasgar páginas em um trem em movimento só basta você segura sua bola.
 O que nos faz seguir nessa direção são as decisões que tomamos todos os dias, seja lá qual for. É a mesma coisa que atrai o menino ao trem.
 Sabe por quê?
 Algumas pessoas jamais compreenderão e às vezes nós não podemos explicar-lhes. Porque elas nunca estarão dispostas para entender. Poderemos até mostrar-lhe o caminho, mais nunca à direção dos seus próprios atos.
Aqui pra nós e muito gratificante ver um menino dizer todos os dias pra sua bola que “preciso de você”.
 Pensando bem será que para sermos adultos temos que esquecer a criança que temos? Ou para ser totalmente independentes é não precisar de ninguém?.
Eu sinto muito por você, e é uma pena mesmo você só acreditar naquilo que puder ser comprovado por meios estatísticos. Sinto muita pena de você por ter esquecido aquele menino que amava uma bola. Que sabia o que era normal, o que era certo, e o que é errado. Espero que um dia você seja livre, e tenha a liberdade de selecionar suas escolhas e alternativas.

Pois eu ainda cultivo a minha curiosidade pelo incomensurável interesse pelos sonhos e não é só pelo que existe aqui na verdade não me importa a mínima o que está a nossa volta isso eu vejo todos os santos dias e muito bem.
Se você quiser passar a vida medindo tudo bem, mas pra me o que interessa é o que está lá fora. Há tanta coisa que não vemos, não tocamos, não sentimos, não compreendemos. Supomos que a realidade seja a caixa em que fomos colocados, e não é eu lhes asseguro.  Você já abriu a porta? Já olhou para fora para ver quanta coisa há. Os nossos desejos e sonhos de hoje será a nossa realidade de amanhã.
 Meu pai uma vez me disse:
Que a maior parte de nós continua pela vida vendo o que temos vontade de ver, ouvindo o que temos vontade de ouvir, cheirando o que temos vontade de cheirar e tudo o mais permanece inteiramente invisível. Todas as coisas estão aí. Só o que temos a fazer para vê-las é deixar que entre, tocar nelas, prová-las, mastigá-las, abraçá-las (é o melhor), experimentá-las como elas são e não como nós somos.
Como ainda sei que você é aquele menino humano que tinha que fazer marabalismo com a bola no trem. Entre novamente em contato com ela. Pós bem quando sentir aquela crise de loucura se aproximando, não a domine. Deixe que ocorra, só uma vez, e depois me conte o que aconteceu.
Lembre-se que é a semelhança que nos aproxima, mas é a curiosidade que nos conservará unidos.
Cadê seu menino seu espírito de ação e aventura?
Namastê !!!.