13 de junho de 2012

Nada é efeito do acaso..

  ''G'', Como dizer para uma pessoa que você admira que ela está te deixando triste? Como dizer que ela está abusando? Passando dos limites? Eu não sei dizer não. Mas tive que aprender.

O lugar mais seguro para todo navio é o porto, protegido por sua previsibilidade, segurança e conforto, mas navios não foram construídos para ficarem ancorados em portos. Seu destino é cortar oceanos, vencer tempestades, unir continentes, transportar pessoas, cargas e sonhos.

Assim como os navios, também temos nossos portos seguros, cujo aparente conforto e proteção nos tentam e ameaçam. Nos tentam porque os enxergamos como destino final da nossa viagem e nos ameaçam porque nos fazem abrir mão da aventura de viajar e descobrir o novo.


"U'', Eu só queria que ele percebesse o quanto estava me fazendo mal. Mas enfim, agora, que o caldo entornou e a vaca foi pro brejo... é tarde demais. Que com os próximos que chegarem perto, seja diferente. O que não dá é para aceitar. Minha amizade não bastava? Meus ouvidos? Minha atenção?

A decisão de levantar âncora e soltar as amarras que nos mantém seguros não é fácil. No entanto, a decisão de permanecer é tão difícil quanto à de partir – embora não pareça. Colada a uma escolha haverá sempre uma renúncia. Para cada sim, existirá sempre um não.

Nossos portos seguros estão por todos os lados e nos tentarão a vida inteira. Conhecemos, por exemplo, alguém que está casado há anos e para quem o casamento ou a companhia já não faz o menor sentido, mas que, ainda assim, prefere continuar na sua calmaria a aventurar-se em mares desconhecidos?
''R'', Porque em momentos, teve que ultrapassar a barreira? Ai, não vou ficar sofrendo. Mas digo, com alma e coração, que estou muito triste com tudo isso. Não o desejo mal. Quero que seja feliz e que respeite o jeito de cada um. E que seja mais discreto, menos falante, mais centrado, ponderado...

Conhecemos alguém que se frustra diariamente ao levantar e ter que ir a um trabalho que não inspira nem desperta o menor tesão, mas que, mesmo assim, não ousa quebrar a monotonia da rotina?
Quando me vejo como um navio, percebo que minha maior realização não está

Simplesmente em alcançar um porto e ficar por lá. Também não gosto da sensação de estar à deriva. Minha necessidade é estar sempre navegando, mas quero sentir, ao máximo, minhas mãos ao leme do meu destino.

 ''I'', E o que aconteceu, foi consequência de uma situação que chegou a me deixar doente. As ações da dor de uma pessoa que ama demais. Foi por proteção. E eu o admiro. Amo. Muito.
Acredito que se tudo aconteceu, foi por alguma razão. O cara lá de cima nos colocou nesta situação por algum bom motivo. Nada do que vem, é por acaso.

O que mexe de verdade comigo é o prazer da viagem em si – com todas as suas variações entre calmarias e turbulências. Na vida, como num ato de amor, o que levo como lembranças é o que antecede o clímax.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo ao meu cantinho.Regras para comentários
1. Comentários postados sem nome não serão mostrados.

2. Comentários com perfis sem acesso ao público também não serão mostrados.

3. Comentários ofensivos não serão mostrados. Ninguém é obrigado a permitir falta de educação.

4. Se você sofre de analfabetismo funcional, então nem leia os textos, pois com certeza não vai entender o que está escrito e seus comentários não serão de acordo com o assunto.

5. Resumindo: se quiser debater e discordar de mim, esteja à vontade. Mas peço gentilmente que seja um debate civilizado. E se você não tem coragem de mostrar quem é, melhor ficar no anonimato e procurar outro blog.

6. A sua liberdade termina onde começa a minha, certo? Se não, qualquer um faria o que desse na cabeça. Assim como cada um deve respeitar o dono da casa ou a soberania de um país, aqui você deve agir da mesma forma.! Ok
OBS: Se seu comentário não foi publicado é porque você não conseguiu adoça o meu cantinho. Não alimente a derrota continue tentando.