16 de novembro de 2011

The wind in the form of color

Chora não neném ela voltar um dia
Há um bode velho em minha vida. Que não berra, nem se desespera. Um bode de olhos labirínticos e de pelos no cocho. Um bode que se alimenta de sonhos e de uvas. Tão doces quando os trigais nas obras de Van Gogh.

Uma breve história de um dos maiores mestres da história da arte de todos os tempos, o gênio da arte que estabeleceu as bases da pintura do século XX, com o uso abstrato da cor e da forma, Vincent Van Gogh.

Ele morreu nos braços de seu irmão Theo no dia 29 de Julho de 1890, depois de ter atirado em seu próprio peito, dois dias antes,

Deixando assim cerca de 800 pinturas e uma centena de desenhos. Não é a toa que sou uma admiradora secreta de suas obras primas.


Parece até meu quarto atualmente.
 O  amor é eterno – a sua manifestação pode modificar-se, mas nunca a sua essência… através do amor vemos as coisas com mais tranquilidade, e somente com essa tranquilidade que um trabalho pode ser bem sucedido.

Acredito cada vez mais que não se devem julgar os bons de coração por este mundo afora, pois foi apenas um pequeno estudo dele que saiu errado.

E por isso a maioria das pessoas tem o péssimo habito de não acha belo o suficiente tudo o que  seus olhos puder ver. Isso é uma pena de verdade.

Se pinta o vento e fixa os movimentos de cada vento que passa em verde, azul ou azul e verde e desvenda pensamentos. Das pessoas que retrata, tudo e curvo sem ser torto em abandono ou pose nos rostos o tortuoso dos trigais ácido glutâmico ácido. O que ativa? E das papoulas essas que não provamos. Será que um artista precisa? Sim ou não? Ou ele simplesmente auto fabrica e expande e constrange, escandaliza.

Nem tudo que é torto, é curvo. Pode apenas ser quebrado pra se fazer um mosaico onde não se fixa o vento e sempre da reta esse elemento aonde os movimentos são feitos pelo pó vermelho ou ocre ou quem saber pelos azuis, verdes amarelos das faces pálidas.


     A vida merece um brinde!
Uma ótima noite.....

14 de novembro de 2011

Avante em teus pensamentos.

Vou começa o post de hoje com esse pensamento.
 O tempo abre as portas para aqueles que sabe esperar, e lutar por aquilo que se deseja conquistar.

Começa esta semana mais uma fase profissional da minha vida. Dessa vez num lugar lindo, claro, alegre, e com pessoas muito, mas muito legais, a começar pelo meu irmão querido… dono do negócio e que certamente será milhares de vezes mais bem sucedidos do que já foi um dia!! E quer saber? Aplaudo de perto, porque o cara é bom e merece muito! O meu avante!

Tirando que hoje não tive a companhia dele no almoço e pra completa estava almoçando no som do o “Comilão” de Erasmo Carlos. Eu realmente não sabia se escutava a música ou ficava olhando para os lados.
Aqui pra nos eu adoro fica passando o tempo batucando os pratos dos outros
É!! Ridículo isso, mas eu gosto de saber como as pessoas comem!

Geralmente eu olho ou a cara da pessoa ou o seu prato. Se tiver muita comida e é muito amarelo, marrom, por exemplo, eu nem preciso virar muito rosto pra descobrir um rechonchudo bem pertinho de mim! Quando tem muita comida, geralmente a pessoa é grande. Quando tem muita comida e tudo muito amarelo, marro grande e gordinho!

Faça o teste! É batata!

Pra comprovar que você é o que você come (salvo quando tem algum problema de saúde como tireoide ou algo do gênero, claro!), repara nos pratos dos magrinhos. Quando é magrinho saudável o prato tem ate uma porção média de comida, mais da metade do prato com salada e o resto com um pouquinho de tudo. Quando é magrinho franzino, daquele tipo adoentado mesmo, um prato pequeno, mas geralmente só com carboidrato e pra não dizer que se esqueceu das proteínas, uns croquetinhos de carne!

Eu tinha que te escolhido estudar nutrição porque eu me ligo muito nessas coisas. Concluo a cada dia que quanto mais velho a gente fica, menos quantidade a gente tem de comer e mais colorido tem de ficar nosso prato.
Almoçar com o meu irmão e uma verdadeira aventura nem sei quem e mais aventureiro eu ou ele e por isso estou com tanta vontade de arruma as malas e embarcar numa aventura. Tenho 3x lugares em mente.

Essa é para você: Somente um poeta verdadeiro é capaz de unir os sons aos seus significados. Ou seja, Ser simples é ter o dom da beleza e saber transmitir o que se pensa e sente de maneira que os outros possam ter a mesma experiência.

O efeito Kamikaze. Vir o mundo de cabeça pra baixo.


Eu sou uma moldura clara e bem simples amore. E por incrível que pareça hoje eu só quero escrever uma carta, não muito longa. Mais na verdade ela deveria ser longa “sim” já que o assunto que quero abordar é de grande importância para o nosso bom entendimento.

Estive pensando novamente esses dias sobre trabalho, realização, vontades, vocações, confusões, encontros, desencontros, achados, perdidos e semi encontrados na multidão. Alguns erros de caligrafia, erros no caminho, esquerdas duvidosas e direitas rápidas demais. Daí então pensei em algo realmente significante, algo real, como uma árvore, daquelas de

Galhos grossos e profundas raízes duras, que não levam a lugar nenhum, só ao mesmo lugar, uma retroalimentação eterna da própria vida; e também pensei no vento, de suas voltas e suas revoluções, pensei em quem as carregas e que os impede quem os faz frio ou quente. Lembrei-me das pessoas e das verdades reveladas que elas contam, das mentiram que elas acreditam e nas verdades em que elas se seguram. Nas falsidades e mentiras, nas desigualdades e nas verdades históricas de que tão mentiradas se tornaram secas verdades, promíscuas. Mas então decidi lembrar-se da linha da vida, voltar pro fluxo que temos aqueles nos leva ao fim sem sentirmos, com vento seco e quente e vai levando na lábia, doce e de lado por toda a vida.

Ai então foi busca em meu passado incompreensível rompimento familiar, bom na verdade não é meu exatamente, mas sim dos meus antepassados. Quem nunca teve uma parcela familiar perdida na história estou citando meus antepassados para ilustrar a tamanha falta de criatividade do futuro e a total abstinência de ações do passado como pode tantos contos e tantos amores e tantas fagulhas se repetirem e se acabar drasticamente. Será quantos raios pode cair no mesmo lugar ou quantos erros serão necessários para deixamos de repeti numerosamente os erros do passado até nos cansarmos? Perguntas como essas me afligem incessantemente; seria, Como uma serpentina de desesperos, e angustia que domina todos os sonhos mal dormidos. É como sempre digo: faça do teu gosto o teu gosto a tua força a tua força e o teu futuro o teu passado porque tudo será diferentemente igual em qualquer parte do mundo. Até porque a massa sempre será a mesma e tua força individual ainda reinara, pelo menos interiormente. Ou seja, a tua estrutura depende da virgindade dos teus segredos mais profundos, esse que sem sombra de duvida ocupar todos os lugares vagos do teu sepulcro intimo que são representando pelas ideias do teu espaço infinito puro e único da criatividade.

Minha moldura ta um pouco confusa, eu sei bem, até porque é um efeito Kamikaze.
Se deixar sempre tem o seu endereço certo feito às cartas...