8 de novembro de 2011

De nada adianta ser livre se não se sentir como tal.

Era uma vez um chatinho. Que queria conhecer o mundo , mas não podia, pois. Morreria tostado. Isso diziam os últimos chatos que com ele viviam (apesar de nunca terem visto um chato sendo tostado).chatinho era o caçula do grupo, protegidíssimo, não saia à caça. Sempre lhe ofertavam corpos quentes dos mortais. Ele cravava seus dentinhos sem desperdiçar uma única gota de sangue. Não sabia se gostava daquilo, mas, era um chatinho e tinha que fazer. Ele não precisava do sangue dos mortais, mas da admiração e aceitação dos imortais.

Até que o chatinho percebeu que só era querido pelo seu apetite voraz, pois, quando chorava suas lágrimas de sangue com sal, ninguém as percebia, afinal se tratavam de uma criatura da escuridão. E o chatinho chorou por vários dias porque ele sabia que tinha que conviver séculos a fio com as mesmas criaturas, com os mesmos aborrecimentos, ao passo que, se os outros eram seus paraísos, também era seu inferno; e imortalidade não significava plenitude. Então se percebeu como uma mentira, um mero artefato social, uma farsa na forma de mal.

Só não sabia que seu coração era portador da verdade da única verdade da qual ele tinha tanto medo

E assim ele resolveu falar de seu antigo sonho de conhecer o mundo.

Falou também que a história do mundo era sempre a mesma, se fazendo em círculos: Invenção da roda, descoberta do fogo, Revolução Industrial, de pensamento... Escolhia-se sempre à vaidade e renunciava-se ao amor, no final ele era sempre crucificado de alguma forma.

Com isso, o chatinho foi duramente censurado por seu bando, dado como um louco (mas seu coração era portador da verdade) e resolveram isola-lo em um caixão bem distante. O chatinho percebeu que começara a incomodar os outros com seus sonhos e não entendia o porquê, afinal ele não se achava assim tão sobre controle no bando. Mas entendeu logo que ficaria preso no caixão pelo resto de sua eternidade.

E lá estava ele, conseguiram me anular de vez pensava, em vez de um chatinho agora seria apenas um zero. Foi então que se lembrou de seu sonho adormecido de conhecer o mundo e esbofeteou a tampa do caixão abrindo-a na primeira tentativa. Percebeu que a tampa do caixão não estava trancada, apenas encostada. É foi assim que o chatinho percebeu que do nada adianta ser livre se não se sentir como tal.

Imediatamente o chatinho transformou-se e começou a voar__ o chatinho viram um morcego para voar, não voam pelo o que são___ voou para longe, até que avistou um corpo de uma vampira estirado no chão com uma estaca no coração. Eis que o morto conhece a morte!

O chatinho era tão protegidinho que não sabia que a única maneira de mandar uma vampira para o paraíso de fogo era acertando uma estaca em seu coração... No seu coração! Então o chatinho analisa: uma vampira só morre pelo seu coração porque o desconhece!E concluiu que de nada adiantaria cobrar dos outros e fazer alarde, se na verdade não era aquilo que sentia de fato. Porque só o seu coração o levaria ao seu sonho.

Obs. Chato é o indivíduo que tem mais interesse em nós do que nós temos nele.

Eu costumo comparar o amor a um vírus mutante. Ele pode surgir, se desenvolver, ficar incubado, desaparecer, voltar atenuado com toda a força.
Deixa-me voltar ao trampo. Uma ótima noite. Beijoooos!!..

Um comentário:

  1. Ah! Por que só agora que percebi que te amo tanto?
    Ás vezes, nós só percebemos tarde demais o valor de um amor.
    Eu queria ter o poder das palavras para descrever
    Esse seu jeito meigo, de olhar sereno e encantador de sorrir.
    Mas como não possuo este dom divino
    O que eu posso fazer é compará-la a mais lindas das flores de um belo jardim
    Minha linda já passou da meia-noite
    Olha o que a saudade faz
    Estou sem sono, e o meu pensamento mim leva até você e das suas loucuras tão doce quanto você, como queria pode sonhar com você essa noite , não sei te esquecer
    Você é a minha inspiração escrita, Seus olhos, são os mais lindos que eu já vi
    O seu sorriso é o sol que ilumina tudo em mim.
    Já faz um bom tempo que eu queria te falar
    Mas a minha timidez nunca queria deixar:

    O quanto te amo te quero
    Te prometo, te espero
    O tempo que preciso for
    Você nasceu pra mim, amor.
    Você estará para sempre na minha memória mesmo não estando mais no meu dia-a-dia mais nunca vc vai sair do meu coração. Porque você é uma pessoa que amei, amo e amarei, sempre.
    Eu fico muito feliz em saber que você está feliz, isso me basta
    Meu coração se consola, pois sua felicidade é tudo que quero
    Porém se um dia você precisar de alguém que te ame
    Lembre-se de mim, pois neste dia ainda queimará no meu peito
    Todo amor que sinto por ti, e falarei sem nenhuma dúvida
    E com muita saudade, eu te amo.
    Rick dos Santos.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao meu cantinho.Regras para comentários
1. Comentários postados sem nome não serão mostrados.

2. Comentários com perfis sem acesso ao público também não serão mostrados.

3. Comentários ofensivos não serão mostrados. Ninguém é obrigado a permitir falta de educação.

4. Se você sofre de analfabetismo funcional, então nem leia os textos, pois com certeza não vai entender o que está escrito e seus comentários não serão de acordo com o assunto.

5. Resumindo: se quiser debater e discordar de mim, esteja à vontade. Mas peço gentilmente que seja um debate civilizado. E se você não tem coragem de mostrar quem é, melhor ficar no anonimato e procurar outro blog.

6. A sua liberdade termina onde começa a minha, certo? Se não, qualquer um faria o que desse na cabeça. Assim como cada um deve respeitar o dono da casa ou a soberania de um país, aqui você deve agir da mesma forma.! Ok
OBS: Se seu comentário não foi publicado é porque você não conseguiu adoça o meu cantinho. Não alimente a derrota continue tentando.