22 de maio de 2010

Uma semana de férias com o meu irmão. Em Minas Gerais que delicia.


Lembro-me quando era criança que adorava curti as férias em família.
Sempre que possível viajávamos e muitas foram às histórias que vivemos por aí.
A viagem mais louca que fizemos foi para França,10 adultos e 15 crianças Uma loucura dentro do avião.

Imaginem dez adultos e quinze crianças, aprontando todas e se divertindo de verdade. Parecíamos à Família Addams sem falar que adoro esse filme, aonde chegávamos era uma alegria contagiante. Tudo era motivo pra rir, não tinha tempo ruim. Uma das coisas mais loucas que lembro era que meu primo não parava de vomita e eu tinha medo de altura um casamento que não ia da muito certo. rsrs. Encontramos uns amigos de meu pai nesse mesmo vôo que morava na frança ele convidou a família toda para ficar com eles algo que não ia da muito certo.
Recém casado adotando quinze crianças por uma semana. Você já pode imagina a confusão que foi para essas famílias.
Ao saímos era colocado a bandeira do Brasil em cada criança, um verdadeiro mico
Dizendo ele que era uma estratégica que de longe poderíamos ser conhecidos se caso nos perdêssemos.

Outra coisa hilária era o fato de meu pai pechinchar tudo em todo lugar, ríamos muito e ele sempre conseguia um desconto em tudo. Mas, a figura notável da viagem foi meu tio, passou a viagem inteira encenando... Minha mãe filmava tudo o tempo todo, e ele adoravam fingir que estava gravando algum tipo de documentário, sei lá, ele entrevistava as pessoas na rua
Na feira, nas lojas, nos restaurantes, em qualquer lugar... Morríamos de rir. Sem dúvida, foi à melhor viagem que já fiz.

Ao chegar a minais deparei com essa família linda que nos acolheu novamente em sua pousada. Eu meu irmão e uma amiga com seu irmão.
Só que não poderia imagina que eles gostaram tanto da experiência de cuida de quinze crianças que não era dele.

E ao encontra essa família novamente fiquei surpresa ao saber que gostou tanto a ponto de adota quinze crianças todas elas com a idade que temos e que a nossas férias com eles nunca tinha saído da lembrança.

A bandeira ficou sendo o brasão da família e todas as vezes que eles sair todos intimado a coloca no braço e pelo incrível que parecer também fui obrigada a usa mais com uma doce lembrança de quando tinha 07 anos.

Pessoas especiais que são colocadas em nossos caminhos com um único propósito de cuida e proteger e ensina a amar o seu próximo.

Essa semana foi maravilhosa para mim e descobri coisas que jamais imaginaria que existisse conhecer pessoas que pelo decreto eu nunca iria esbarra pela frente.
Vivi e voltei ao passado.

Sobrevoei a cidade de minais em um helicóptero coitado do Fernando ficou roxo de tanto beliscão que dei nele. rsrs quem manda ele sabia que tenho medo de altura e fazia manobra de propósito só para me deixar apavorada não tinha outro jeito tinha que libera minha adrenalina.
Tirado que os mineiros foi infortúnio histórico-geográfico de terem sido privados de uma saída para o mar.

Voltando ao assunto e lugar e lindo com vários botecos, Igreja museu de arte com arquitetura barroca, Conhecer artesãos e artesanato local e, eventualmente, comprar alguma coisa

Comer pastel de angu, limonada com leite e pipoca com queijo e bacon, encontramos uma turminha que adora ir trilhar as 04h00min da manhã e lá vou eu com um sono que o corpo só pedia uma boa cama tiver tanto medo com uma sensação de ter muitos morcegos me acompanhado. Loucura, loucura das boas.

Fui procura a lua em Mirante das Mangabeiras, Subir e descer ladeira ate me perder chequei em uma praça que nem lembro o nome parecia muito o pelourinho tinha um tronco onde parei já cansada de repente um senhor falou: Veio conhecer o nosso passado eu sim todos nos brasileiro temos nosso passado ou o nosso pé na senzala ele sorriu assim ganhei a confiança de seu Zé.

Ele me acompanhou ate a casa onde me encontrava hospedada e um velho conhecido da família sorte minha.

Faltou eu acampar a beira de alguma cachoeira, mergulhar numa queda d'água gelada, fazer escalada, rafting e arborismo. Quem saber em nossa próxima aventura de moto até Chapada Diamantina.

Aproveitei o que foi possível. Ao lado de pessoas maravilhosas, e uma pena que toda viagem tem o seu começo e o seu fim que é o retorno para o seu doce lar chegar o dia da volta ai como e ruim desfazer as mala e volta para sua velha rotina buaaaa...
Meus amores um cheiro é um lindo fim de semana para todos..

Sinta-se todos abraçados (as)!!!

21 de maio de 2010

Tudo que se viveu é passado e que bom que foi possível viver esse conto "Maravilhoso"!

Falando em "cantos", essa música veio à minha cabeça hoje. Inesperadamente eu encontrei o Ex Grande Amor da minha vida no Shopping. Mas, foi muito rápido só um aperto de mão e dois beijinhos e ele se foi. Penso que uma história como a nossa acaba, mas o carinho, esse parece que permanece. Eu vivo longe dele, em outra cidade, raramente nos falamos. Mas quando isso acontece... Penso nessa música. Não acho que ainda exista aquela paixão que me tirava o sono, que me deixava sem ar. Ainda bem! Pois, também me tirava a paz. Mas, ainda sinto uma alegria, uma coisa boa dentro de mim quando o vejo sorri pra mim. Talvez isso não esteja nem perto de "amor", ainda sim é um sentimento bom que descrevo com essa música:

Isso também não importa, mas. Foi algo que ficou no passado e os que ficaram atrás sair e feche a porta.

Um lindo dia!!!
MYSTERYGUITARMAN.

19 de maio de 2010

Se quiserem vender o sonho da solidariedade, terão de aprender a enxergar as lágrimas nunca choradas.

Sem sonhos, os monstros que nos assediam, estejam eles alojados em nossa mente ou no terreno social, nos controlarão.

O objetivo fundamental dos sonhos não é o sucesso, mas nos livrar do fantasma do conformismo.

Quem não é generoso consigo mesmo jamais o será com os outros. Quem cobra muito de si mesmo é um carrasco dos outros.

A generosidade é um dos maiores sonhos que devemos difundir no grande “caos social”.

Generosidade é uma palavra que habita os dicionários, mas raramente o coração psíquico.

Só dorme bem quem aprende primeiramente a repousar dentro de si.

É possível fugir dos monstros de fora, mas não dos que temos dentro da mente.

Os egoístas vivem no calabouço das suas angústias, mas os que atuam na dor dos outros aliviam a própria dor.

Sou apenas um caminhante que perdeu o medo de se perder.

Os que vendem sonhos são como o vento: você ouve a sua voz, mas não sabe de onde ele vem e nem para onde vai.

O importante não é o mapa, mas a caminhada.

Não existem heróis. Todo gigante encontra obstáculos que o transformam em criança.

Se quiserem vender o sonho da solidariedade, terão de aprender a enxergar as lágrimas nunca choradas, as angústias nunca verbalizadas, os temores que nunca contraíram os músculos a face.

Nunca procurei meu filho e lhe perguntei quais eram seus temores ou suas mais marcantes frustações.

Impus regras para eles, lhe apontei erros, mas jamais vendi sonhos de que sou um ser humano que precisa conhecê-lo e precisa ser amado por ele.

Nunca procurei um aluno que expressasse um ar de tristeza, irritabilidade ou indiferença.

Mas a vida me ensinou...

Somos criativos em excluir, mas inábeis em incluir.

Começamos a entender que, quando somos frágeis, aí é que nos tornamos fortes.

Não existem pessoas imprestáveis, mas pessoas mal valorizadas, mal utilizadas, mal exploradas.

O ser humano morre não quando seu coração deixa de pulsar, mas quando de alguma forma deixa de se sentir importante.

Aprenda que uma pessoa pode ferir seu corpo, mais jamais poderá ferir sua emoção, a não ser que você permita.

A vida se extingue rapidamente no parêntese do tempo. Vivê-la lenta e deslumbradamente é o grande desafio dos mortais.
Citações do livro

“O vendedor de sonhos”
de Augusto Cury
Recomendo o livro..
Beijos...