15 de outubro de 2010

A procura de uma caverna!@

O mundo contemporâneo, não tendo mais cavernas nem florestas para deixar seus amores, os deixa na net. Enquanto isso, não tendo mais caça, todos, homens e mulheres, vão brincar de construir as suas megalomaníacas selvas de pedras. Uns brincam de dar ordens e outros brincam de obedecerem, estas são as regras.

Às vezes não podemos brincar, pois precisamos aprender a construírem as nossas próprias pedras de selvas. Estas são as regras, reguladas, carimbadas, rotuladas, avaliadas, e mais... Como somos feitos de sonhos, estamos sempre querendo mais enquanto alguns, só preferir sonhar. Repetimos quantas vezes às regras quiserem, assim podemos entrar no mundo dos metais para construirmos nossos mapas mentais, dez caminhos com dois tempos: a espera do intervalo e a espera da saída. Um mundo estranho, berço em que não queremos estar dentro nem fora.

O que nos resta é ir à procura de sua própria caverna do amor..
Ou imaginar uma caverna onde geração após geração um ser humano esta aprisionado desta sua infância. Onde seus membros superiores e inferiores estão algemados de tal modo que são forçados a permanecer sempre do mesmo jeito.

A caverna não permite que a luz exterior penetre e o seu mundo e totalmente escuro, de modo que não possa enxergar o que se passa a sua volta.
A única luz que se possa imagina vem de uma imensa alta fogueira que vem de uma alta colina

Não há um caminho certo para a prisioneira juvenil na qual ela foi erguida como uma mureta de um palco de marionetes.
Ao longo dessas marionetes homens transporta todos os tipos de figuras e sentimento e despreza na primeira fronteira que encontra.

Assim a prisioneira juvenil enxerga no fundo da parede da caverna sua proprias sombras onde foi trasformada em estatuetas, só que ela não pode toca nem ver o homem que a trasformol
Como jamais viram outra coisa.

A princioneira juvenil imagina que as sombras vistas são as próprias coisas. Ou seja, não podem saber que são sombras, nem podem saber que são imagens (estatuetas de coisas), nem que há outros seres humanos reais fora da caverna. Também não podem saber que enxergam porque há a fogueira e a luz no exterior e imaginam que toda a luminosidade possível é a que reina na caverna.

O que aconteceria ,se alguem libertasse a prisioneira juvenil
O que faria depois que fosse libertada?

sera que ela olharia toda a caverna, e observava como o lugar foi especial e que teve uma nova oportunidade em saber aproveita a vida.
Ou quem sabe agradeceria a todos pelo desempenho de pessoas estranha que lutaro para liberta-la
enfim a princioneira conseque ver a luz do sol onde o seu olhar é ofuscado pelo seu brilho.

mesmo dolorida pelos anos de imobilidade ela começa a caminhar em direção a saida e se depara com o caminho ascendente onde pode observar que as pessoas que apoiavam desde o início dessa aventura estava todas lá a espera dela e assim a princioneira juvenil pode contemplar a sua própria liberdade.

Enfim, nem toda caverna e uma prisão para alguns seria uma pequena solução para o seu mundo interior.

2 comentários:

  1. Não me importa onde você estaja,
    porque sei que sempre que fecha os meus olhos você estara lá em algum lugar,
    Perdida em meu coração..
    porque para mim você é perfeita,minha ☆.¸.☆´
    ¸.☆´¸.☆´¨) ¸.☆*¨)
    (¸.☆´ (¸.☆´ (¸.☆´¯`☆Ti amor!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi mocinha eu fico aqui bobo sem saber o que fazer se fico admirado o seu sorriso ou o seu lindo olhar são duas combinação lindas que energia que luz que segredo e esse que me faz querer ver você toda hora isso tudo é fenomenal como tenho vontade de beija você
    Sei que não posso e tenho que me contenta a ti olhar de longe.. E sonha.
    Victor Hugo.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo ao meu cantinho.Regras para comentários
1. Comentários postados sem nome não serão mostrados.

2. Comentários com perfis sem acesso ao público também não serão mostrados.

3. Comentários ofensivos não serão mostrados. Ninguém é obrigado a permitir falta de educação.

4. Se você sofre de analfabetismo funcional, então nem leia os textos, pois com certeza não vai entender o que está escrito e seus comentários não serão de acordo com o assunto.

5. Resumindo: se quiser debater e discordar de mim, esteja à vontade. Mas peço gentilmente que seja um debate civilizado. E se você não tem coragem de mostrar quem é, melhor ficar no anonimato e procurar outro blog.

6. A sua liberdade termina onde começa a minha, certo? Se não, qualquer um faria o que desse na cabeça. Assim como cada um deve respeitar o dono da casa ou a soberania de um país, aqui você deve agir da mesma forma.! Ok
OBS: Se seu comentário não foi publicado é porque você não conseguiu adoça o meu cantinho. Não alimente a derrota continue tentando.