23 de agosto de 2010

Uma experiência única que em breve irei repetir.

Haja coragem para tanta emoção!Ou para querer troca a terra pelo ar.

Miguxo!! vocês estão se mexendo? Eu estou.
Não apenas no sentido de fazer as coisas, mas também de fazer acontecer.
Chega de deixar pra depois o que já devia ter sido feito há anos, chega de adiar e adiar e adiar chega de deixar pra amanhã o que posso fazer hoje. Quero chegar aos 127anos e dizer: Graças a Deus, vivi bem, realizei meus sonhos, fiz tudo o que gostaria de ter feito. Realizei tudo que sempre desejei e aquilo que todos esperavam de mim, a vida passou e não tenho arrependimentos. Não fiz mal a ninguém, não causei danos, fiz o bem. Amei aqueles que estão e que estiveram comigo, amei os que não estão e nem nunca estiveram.
E assim vou para mais uma aventura a Ilha de Itaparica.
Primeiro um bom conselho para os que queiram iniciar suas aventuras pelo céu, é necessário antes de tudo coragem e determinação. (Coragem eu,nas alturas hum mulher errada)..rsrsrs

Fiquei o tempo todo me questionado, por que é que é que eu invento essas coisas? Foi isso que passou pela minha cabeça quando eu tive de sair do avião a 13,5 mil pés (4,4 mil metros). Mas fazer o quê? Já que tinha aceitado o desafio, não podia amarelar. Ficar muito feio para a minha imagem desistir só porque o coração batia embaixo da língua e minha mão parecia uma bica de suor.
Meu amigo Fernando que é o instrutor que fez o salto comigo chega perto e fala:

Prepare-se para voar.

Primeiro você se imagina de pé, em frente à porta aberta de um avião, a 13,5 mil pés, ou seja, 4,4 mil metros do chão. Na sua frente, uma paisagem deslumbrante. Imagine a sensação do vento batendo forte no rosto, você respira fundo e se joga?
Fiquei observando toda a preparação: veste o macacão, alonga, conversa com os instrutores, piloto fala com os controladores de vôo e eles embarcam. Ficamos ali no hangar, aguardando até que chegasse a minha vez de brincar. Pouco antes das 14:00h, eu comecei a me arrumar.
O Meu irmão estava achando tudo aquilo muito engraçado. Eu não parava de falar e ficava dizendo que estava super tranqüila. E estava mesmo. O pavor bateu quando se preparava para fechar a porta e o avião decolar.
O Fernando me deu uma água com gás, conversou bastante, mostrou o equipamento e fizemos um pequeno treinamento ali. Deitei em uma prancha de madeira com rodinhas e ele me mostrou como deveriam ficar as minhas pernas. Falou mais de 10 vezes que, na hora do salto, eu tinha de ficar com as mãos agarradas num equipamento que eu vesti por cima do macacão. É isso que faz com que o passageiro fique preso ao instrutor.Ok

Demorei a entender por que ele falava tanto nisso. Na hora do salto percebi: quem comanda o para quedas é ele, e as mãos do passageiro devem ficar paradas. Feito isso, fomos para o avião, um monomotor Skylane, com espaço para cinco pessoas. Bem apertadinho. Na porta, mais um treinamento, simulando o temido salto. Uma sensação estranha, porque fiquei grudada no Fernando e não podia me segurar no avião, exatamente como nas alturas.

Tudo pronto, hora de subir. Foi minha primeira vez também em um avião pequeno. O piloto falou com a torre, eu fiz o sinal da cruz e subimos bastante. A vista me encheu os olhos. Lá de cima eu percebi a perfeição da Ilha de Itaparica e neste momento, confesso: escorreram lágrimas dos meus olhos. Realmente, a Ilha tem uma vista lá de cima linda.

De repente o piloto grita: porta! Eu como assim porta?
Ai meu pai diz: chegou o momento.

O piloto avisa: em três minutos podem pular. A gente se ajeita no pequeno avião, Fernando fecha os engates e estamos prontos. Dou uma última olhada para baixo. É alto pra caramba. Piloto grita: porta!
Augusto que é pára-quedista há 25 anos sorri, e vai para fora do avião. Ali, ele se segura em uma alça grudada do lado da porta da aeronave, os pés ficam em um estribo em cima da roda. Ele começa a fala ela não vai pula e muito medrosa eu comecei a fica com raiva dele mais o meu medo era tanto.
que de repente veio o pensamento da rápida aula que tive dentro do avião com o Fernando. Você fica nas minhas costas, e coloca o pé para fora, no estribo e pede que eu coloque meus dois pés ali também. Ele se segura na asa do avião. O vento é muito forte, em torno dos 120km/h. Quando distrai um minuto meu irmão mim empurra em um sinal estou voando! Em queda livre entre 200 e 220 km/h. “Aff!”!!

O vento entra na minha boca e na minha garganta e eu não sei exatamente o que fazer. Tenho dúvidas se a sensação é boa ou se ainda tenho medo. Coração bate descompassado. São 40 minutos: 45 segundos de queda livre. Mais longos da minha vida. Procuro não olhar para baixo, mas não consigo. A vista é maravilhosa. Meus braços, que estavam abertos, se fecham e eu encosto as palmas das mãos como em agradecimento por aquele momento mágico. A sensação de adrenalina percorrendo todo o meu corpo é indescritível.
Quando você pensa que não poderia haver emoção maior, chega aos 1.200 metros do chão. É hora de abrir e comandar o pára-quedas, e a adrenalina sobem mais ainda. O ritmo muda quando o equipamento abre. O vôo fica mais suave, o vento faz menos pressão. Momento para curtir os últimos segundos do vôo e se preparar para voltar ao solo firme outra vez. A poucos metros do solo, começa a missão de controlar o pára-quedas e você se prepara para descer suavemente.

Este sonho dura, em média, 40 minutos: 45 segundos em vôo duplo dos quais em queda livre e mais cinco minutos de vôo. E, enquanto recolhe o equipamento, você volta a respirar normalmente, o coração volta ao ritmo normal. Pelo menos até o próximo salto!

Foi uma das mais - se não a mais - gostosas experiências que já tive nesses 27 anos de vida.

Afinal, se tanta gente pratica este esporte incluindo muitos que já passaram dos 50, 60 anos alguma coisa de especial ele tem. E como tem. Um salto de para quedas faz a adrenalina ferver. Imaginem para mim, que tenho medo de altura. Uma experiência única que em breve irei repetir. Depois dessa aventura no ar resolvemos aproveita a ilha no mergulho ao mar, junto aos peixes foi maravilhoso ameiiiii..
Meu domingo foi assim, com varias paisagem sobre os meus olhos..
Agora sua amiga nesse exato momento está no trampo, depois de um dia mais que especial..

Uma ótima semana!! Espero que tenha aproveitado muito bem o seu dia..

♥♥♥ Um cheiro amoré♥♥♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo ao meu cantinho.Regras para comentários
1. Comentários postados sem nome não serão mostrados.

2. Comentários com perfis sem acesso ao público também não serão mostrados.

3. Comentários ofensivos não serão mostrados. Ninguém é obrigado a permitir falta de educação.

4. Se você sofre de analfabetismo funcional, então nem leia os textos, pois com certeza não vai entender o que está escrito e seus comentários não serão de acordo com o assunto.

5. Resumindo: se quiser debater e discordar de mim, esteja à vontade. Mas peço gentilmente que seja um debate civilizado. E se você não tem coragem de mostrar quem é, melhor ficar no anonimato e procurar outro blog.

6. A sua liberdade termina onde começa a minha, certo? Se não, qualquer um faria o que desse na cabeça. Assim como cada um deve respeitar o dono da casa ou a soberania de um país, aqui você deve agir da mesma forma.! Ok
OBS: Se seu comentário não foi publicado é porque você não conseguiu adoça o meu cantinho. Não alimente a derrota continue tentando.